17/11/2018


Faltava, sempre falta, qualquer coisa...


Entramos, em grupo, elas e eles, barulhentos, animados, divertidos.

Olhei em redor.
Ambiente acolhedor. Fogo na lareira. Gente tranquila. Conversa em baixo tom. Música suave.

Indicaram-nos uma mesa.
Sentamo-nos, quase apertados.

Pediram-se bebidas.
Bebidas chegadas, soam gargalhadas.

Conversas trocadas, acontecimentos de ontem, asneiras de hoje, anedotas sem sentido.
Tudo serve para animar.

- Lembras-te disto?
- Lembras-te daquilo?
Soam perguntas sem que se esperem respostas. 

Olho, e, por momentos, penso:
- Que faço aqui?

Naquele instante, voei para longe. 
Faltava, sempre falta, qualquer coisa...

Regressei depressa, não perdi conversa.


Se não é o teu Percurso,
não te perturbes.





13/11/2018


Que nada ou pouco fique por dizer.


Se não encontrar as palavras,
encontre uma imagem,
encontre um desenho,
encontre uma música,
encontre um cheiro,
encontre um abraço...