14/11/2017



Estamos em pleno mês de Novembro.
Todos os dias, pela manhã, abro a janela e contemplo o céu azul, demasiado azul para esta época do ano.
Procuro uma nuvem, duas nuvens, muitas nuvens cinzentas, carregadas de água. 
Teimam em não aparecer.
A preocupação começa a instalar-se, recordo palavras ditas aquando dos grandes incêndios:
- Deus queira que não chova tão cedo para que não hajam inundações!
Será que Deus levou o meu pedido em consideração, com tanto empenho?

Acho que não, Ele sabe aquilo que faz. 
Preocupo-me porque sei que todos nós somos, mais ou menos, culpados de tudo o que acontece, de mal e de bem, neste nosso Planeta.

Os pequenos nadas que mostramos ter feito não são suficientes. 
Muitos pensam que o problema não é deles, e, talvez não seja tanto de uns como de outros mas todos temos responsabilidades.

Cada vez que observo um arco-íris, promessa feita de que não voltará a haver um outro Dilúvio, penso:
- Será?

Cheias e secas, aquecimento global, sismos e terramotos, vulcões em erupção não serão sinais mais do que suficientes?

Pense.
Encontre soluções.
Fale.